Arturo Sandoval

O trompetista cubano Arturo Sandoval tem deslumbrado as platéias no mundo inteiro com seu estilo supercarregado dentro da linha bop, sempre utilizando o registro mais alto de seu instrumento. Em números mais lentos, ele brinca num tom mais brilhante e jovial com seu flugelhorn, colocando de forma sutil o seu balanço. Aparentemente ele é capaz de tocar tudo, mas ele prefere ficar ligado ao repertório clássico do jazz, dentro de um estilo cubano de tocar o bebop.Filho de um mecânico de carro, Sandoval nasceu em Artemisia, Cuba no dia seis de novembro de 1949. Ele começou estudando o trompete clássico aos doze anos e foi para a Escola Nacional Cubana de Artes aos quinze, estudando com um trompetista clássico russo. No começo dos anos setenta, ele se tornou membro fundador da Orquesta Cubana de Musica Moderna e em 1973 foi para a banda afro-cubana Irakere.

Sandoval conheceu seu ídolo Gillespie em 1977, que rapidamente se tornou seu mentor e colega, tocando com Sandoval em concertos na Europa e Cuba e depois na Orquestra das Nações Unidas. Depois de gravar um álbum com David Amram, "Havana/New York" e dois álbuns com o Irakere pela Columbia, Sandoval deixou o grupo em 1981 para excursionar com sua própria banda e gravar em Cuba.

Ocasionalmente, Fidel Castro permitia Sandoval aparecer em vários festivais de jazz internacionais e com orquestras como a Sinfônica da BBC e a Filarmônica de Leningrado. Sandoval esperou o tempo em que podesse sair com sua esposa e filho de Cuba, e só então, em julho de 1990 durante uma longa excursão européia pediu asilo na embaixada americana em Roma e depois foi morar na Flórida.

Assinou com a GRP e seu primeiro álbum americano recebeu o título apropriado de "Flight to Freedom". Logo foi demonstrando sua versatilidadeem vários idiomas, excursionando com toda a energia afro-cubana da sua banda a a partir dos anos noventa e gravando grandes álbuns como "Hothouse" e "L.A. Meetings".































Nenhum comentário: